Fotografia de Casamentos, Gestantes, Books, Aniversários, Festas, Feiras e muito mais…

Coleção fotográfica é incluída no patrimônio cultural brasileiro

Fotos retratam vida doméstica e privada, eventos, transformações arquitetônicas e infraestrutura ferroviária no início do século XX

por Portal Brasil

 

A Coleção Sanson de fotografias, pertencente ao acervo do Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis (RJ), foi contemplada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), com o certificado do programa Memória do Mundo, no dia 27 de março, no Arquivo Nacional – Rio de Janeiro. O conjunto de fotos do início do século XX foi incluído no Registro Nacional do Brasil como patrimônio cultural brasileiro.

A coleção, que reúne trabalhos do fotógrafo amador Octávio Mendes de Oliveira Castro, retrata a vida doméstica e privada de uma família aristocrática, com seus passeios, viagens e eventos sociais. Isso se junta a registros de importantes eventos, ocorridos no Rio de Janeiro, como a grande Exposição Nacional (1908) e a Exposição Internacional (1922), além de documentar transformações arquitetônicas do Rio de Janeiro, como a construção de praças e edifícios, bem como e a abertura de estradas de ferro e de rodagem em diferentes partes do País.

Preservação

Mais de dois terços das peças do acervo premiado foram tratadas por meio do treinamento fornecido pelo Centro de Conservação e Preservação Fotográfica (CCPF) da Fundação Nacional de Artes – Funarte. O Centro também reproduziu as imagens em negativo fotográfico.

O trabalho, supervisionado pelo CCPF Funarte, foi realizado com 999 imagens, parte do conjunto de 1.374 positivos estereoscópicos em vidro da coleção, cujas peças datam do período de 1900 a 1930. No sistema utilizado nas chapas, as imagens estereoscópicas eram produzidas em pares de fotos de uma mesma cena, que, vistos ao mesmo tempo num visor binocular apropriado, produzem a ilusão da tridimensionalidade. O tratamento das fotografias, concluído em 2009, envolveu o treinamento, por parte do CCPF de uma servidora do Museu Imperial, Maria Isabel Ribeiro Lenzi, e foi realizado com o acompanhamento técnico e a supervisão permanente desse centro da Funarte. As imagens foram reproduzidas em negativos pelo servidor da Fundação Richam Samir Sobh.

“Celebramos essa parceria com o Museu Imperial, importante para a preservação do patrimônio cultural brasileiro, com a realização do tratamento de conservação fotográfica da Coleção Sanson. Parabenizamos as equipes envolvidas”, assinala Sandra Baruki, coordenadora do CCPF/Funarte.

As chapas estereoscópicas da coleção foram criadas através do sistema Verascope, um equipamento padronizado, que integrava o filme em chapa de vidro, a câmera e o visor estereoscópico, lançado em Paris (FR), em 1893. O Museu Imperial acrescenta que “As chapas têm um valor excepcional pelo pioneirismo técnico que possibilitou a popularização da fotografia no Brasil e no mundo, tornando-se um objeto de pesquisa”.

Os pesquisadores podem ter acesso aos documentos no Arquivo Histórico do Museu Imperial. As consultas devem ser agendadas com, no mínimo, dois dias de antecedência pelo e-mail mimp.arq.historico@museus.gov.br ou pelos telefones (24) 2233-0327 e 2233-0315.

Premiações

Pela primeira vez, uma instituição brasileira é agraciada com registros nos três níveis do Memória do Mundo. O Museu Imperial/Ibram recebeu certificado para as obras: Coleção Sanson, no Registro Nacional; A Guerra da Tríplice Aliança: representações iconográficas e cartográficas, no Registro Regional (América Latina e Caribe) – em candidatura conjunta, com mais oito instituições; e o Conjunto documental relativo às viagens do imperador d. Pedro II pelo Brasil e pelo mundo, no  Registro Internacional, equivalente ao prêmio de Patrimônio da Humanidade. É a primeira vez que uma instituição brasileira é agraciada com registros nos três níveis do Programa, em um mesmo ano.

O programa Memória do Mundo “reconhece patrimônios documentais de significância internacional, regional e nacional; mantém o seu registro e lhes confere um certificado, que os identifica”. A iniciativa facilita também a preservação e o acesso a este Patrimônio, “sem discriminação”, além de trabalhar “para despertar a consciência coletiva do patrimônio documental da Humanidade”. A principal ideia do programa é que “o patrimônio documental mundial pertence a todos, deveria ser plenamente preservado e protegido para todos e, com o devido respeito aos hábitos e práticas culturais, deveria ser acessível a todos de maneira permanente e sem obstáculos”.

O Ministério da Cultura criou o Comitê Nacional do Brasil do programa Memória do Mundo da Unesco – MOW Brasil, em 2004. Desde a sua instalação oficial, em 2007, o Comitê vem lançando editais de nominação ao Registro Memória do Mundo do Brasil.

Fonte: 
Fundação Nacional de Artes

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s