Fotografia de Casamentos, Gestantes, Books, Aniversários, Festas, Feiras e muito mais…

O que é HDR?

O HDR – sigla para High Dynamic Range (Aumento do Alcance Dinâmico) – é uma técnica para imagens digitais que tem a função de contornar as limitações dos equipamentos de captura e de exibição, com o objetivo de obter muito mais detalhes da cena desejada, não perdendo assim informações de altas luzes e sombras. Essas limitações dos equipamentos acontecem porque (ainda) não é possível capturar todas as quantidades de tons e cores que nossos olhos enxergam.

Essa técnica consiste em unir, no mínimo, três fotos simultâneas com exposições diferentes (alternando preferencialmente a velocidade do obturador), assim poderemos capturar vários tons de luz e sombras, e unimos essas fotos com exposições diferentes para resultar uma foto final rica em detalhes.
284_hdr_01 (1)

Ao falar em HDR, é muito comum pensar em fotos com cores bem saturadas e ausência de contraste, em que é visível que temos uma foto editada, com efeito mais surreal. Porém, a técnica não é usada apenas com esse fim. Além de fotos com esse efeito mais surrealista, em que as áreas de sombras são geralmente extintas, também podemos usar essa técnica com a finalidade de criar uma imagem ainda mais parecida com o que vemos, sem um grande aumento de saturação e sem perder nenhum detalhe. Essa técnica é muito utilizada em fotos de arquitetura. Veja o exemplo abaixo, onde apenas com a fotometria subexposta conseguimos informação da parte de fora da casa.
284_hdr_02

Atualmente, unindo as vantagens dos arquivos RAW mais o poder de aplicativos como o Lightroom ou o Adobe Camera Raw, podemos criar também o “falso HDR”, pois graças à grande latitude dos arquivos RAW, em uma única imagem podemos variar cerca de 3 pontos positivos e negativos, obtendo assim informação de luz e sombra contidas numa única imagem. Veja o exemplo abaixo editado apenas no ACR:
284_hdr_05

Equipamentos necessários

Para produzir uma foto em HDR, não são necessários grandes equipamentos, como as câmeras mais avançadas e ultra modernas do mercado. Mas é importante usar uma câmera que proporcione configurações manuais, como controle no tempo de exposição, abertura do diafragma, ISO, e o mais importante: o formato de arquivo RAW, amplamente mais rico em informações que o JPEG. Esses controles manuais são importantes para fazer uma foto em exposição “ideal” e outras subexpostas e superexpostas. Eu recomendo fotografar sempre alternando a velocidade do obturador, pois se alterar a abertura poderá alterar a profundidade de campo entre uma foto e outra.

Também é extremamente necessário um tripé para produzir as diferentes exposições da mesma cena, estável para evitar qualquer tipo de movimento ou trepidação que desenquadre a segunda foto da primeira. Disparadores auxiliam também a evitar esses leves movimentos. Ou, na ausência deles, podemos usar o temporizador da câmera para evitar o movimento da câmera ao apertar o botão.
284_hdr_03 284_hdr_04

Via Photopro Erica DalBello

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s